11 99231-6498
Language:
Apresentação
11 99231-6498
SIGA-NOS

Museus

MUSEU REPUBLICANO “CONVENÇÃO DE ITU”

MUSEU-REPUBLICANO.jpg
No ano de 1867, foi inaugurado um elegante sobrado, situado à Rua do Carmo, atual Barão do Itaim, construído por Francisco de Almeida Prado. A fachada  era revestida de azulejos. Foi nesse prédio que, a 18 de abril de 1873, realizou-se a reunião de políticos e fazendeiros com os Clubes Republicanos, com 133 presentes. Batizada de Convenção de Itu semeou as bases do movimento que cresceu pelo Brasil e mais tarde derrubou a Monarquia no país, tornando-o uma República Federativa.

No Cinquentenário da Convenção, o sobrado foi transformado, em 1923, pelo então Presidente do Estado Washington Luís Pereira de Sousa em museu, o qual possui valioso acervo relativo aos republicanos históricos e à memória de Itu. Hoje é administrado pela Universidade de São Paulo.

Endereço: Rua Barão do Itaim, 67 – Centro.
Fone: (011) 4023-0240
Horário: de 3ª a Sábado – das 10 às 17h. Domingos – das 9h às 16h.

MAHMI – MUSEU E ARQUIVO HISTÓRICO MUNICIPAL DE ITU

Data de Fundação do Museu de Arquivo Histórico = 08 de Novembro de 1989

Horário de visita: de 2ª a Domingo - das 13h às 17h.
O Museu de Arte Sacra de Itu foi criado em maio de 1960 e funcionou, inicialmente, junto à Igreja de N.S. do Patrocínio e depois se transferiu para o Convento do Carmo. O local ficou pequeno e a melhor solução foi transferi-lo para as instalações da Secretaria de Cultura na esquina da Rua Paula Souza com o Becão.
Em 31 de março de 1989, foi criado no local o Espaço Almeida Júnior, famoso pintor ituano, onde acontecem exposições permanentes de obras de arte e diversas atividades culturais. Nele foi instalado o Museu de Arte Sacra, em 29 de fevereiro do ano 2000.

O prédio tem história, como tudo em Itu. Por muitos anos ali funcionou o Grupo Escolar Cesário Motta, sobrado construído pelo Barão de Itu, Bento Paes de Barros, para residência de sua família e inaugurado em 1858. Muitas gerações de ituanos ali estudaram.

O Museu guarda em seu acervo objetos da cultura popular, imagens religiosas e do culto católico, além de obras de arte atribuídas ao Padre Jesuíno do Monte Carmelo (1764-1819).

MUSEU DE ARTE SACRA “PADRE JESUÍNO DO MONTE CARMELO”.
Endereço: Situado na Casa da Praça (antigo Ytuano Clube)– Centro.
Fone: (011) 4023-0363.

MUSEU DA ENERGIA

MUSEU-DA-ENERGIA.jpg
À esquina do Becão com a Rua Paula Souza, defronte o sobrado dos Barões de Itu, há outro importante marco da arquitetura urbana de Itu – o Museu da Energia. Pertence, hoje, á Eletropaulo e mostra todas as fases da eletrificação da cidade e peças antigas ligadas à energia. O imponente sobrado pertencia, em 1865, ao Tenente Antônio Correa Pacheco e Silva, irmão do Padre Miguel que dá nome à mais importante praça da cidade, onde fica a matriz de N.S. da Candelária. Nele, o turista pode apreciar a decoração da bela fachada de azulejos portugueses. Suas instalações foram utilizadas pela Companhia Ituana de Força e Luz e Light and Power.
Construído em 1847, o sobrado do Museu da Energia serviu, originalmente, de moradia para membros da família Pacheco, ricos produtores de açúcar da região. Em 1908, a edificação foi vendida à Companhia Ituana de Força e Luz. Por 90 anos, abrigou os escritórios das empresas de eletricidade que atuaram em Itu: a Cia Ituana de Força e Luz (1908-1927), a The São Paulo Light & Power (1927-1981), a Eletropaulo (1981-1997) e a Empresa Bandeirante de Energia (1997-1998). Após restauro do sobrado, o Museu da Energia de Itu foi aberto a público em 1999. 

Endereço: Rua Paula Souza, 669.
Horário de funcionamento: Segunda a Quarta e Sexta a Domingo, inclusive feriados, das 10 às 17 horas; Quinta, das 10 às 21horas.
Telefone: (011) 4022-6832.

MUSEU DO QUARTEL

MUSEU-DO-QUARTEL.jpg
O museu funciona de segunda a quinta-feira, sábados, domingos e feriados das 9h às 12h e das 13h às 16h. Nas sextas-feiras, os visitantes podem conferir o acervo apenas no período da manhã. A visitação é gratuita.
O Espaço Cultural “Domingos Fernandes” (bandeirante fundador de Itu, em 1610), que fica dentro do Regimento Deodoro, atual 2º Grupo de Artilharia de Campanha leve, abriga o Museu do Quartel com salões que expõem fotos antigas, a participação na Revolução Constitucionalista de 1932, galeria de uniformes históricos, pratarias antigas e medalhas de Papas do colégio da ordem jesuíta, além de diversos obuses (canhões) calibre 75 de origem alemã e a bela Igreja de São Luiz Gonzaga.

Os que o visitam, além de conhecer a história dessa unidade militar do Exército Brasileiro, tomarão conhecimento sobre o tradicional Colégio São Luiz, famoso em todo o interior do Estado, dedicado somente a meninos, inaugurado em 1867.

Depois de 50 anos de atividades, em 1917 foi transferido para São Paulo, instalando-se num grande prédio, com Igreja anexa, na Avenida Paulista, onde funciona até hoje. 

Endereço:​ Praça Duque de Caxias, número 284
Telefone: (11) 4022-1184.

Museu da Música de Itu

museu da música - 2.jpg
Em 14 de dezembro de 2007, foi fundado por um grupo de cidadãos, o Museu da Música- Itu, uma instituição museológica cujo objetivo é a preservação da música enquanto patrimônio imaterial cultural e fonte de pesquisa e aprendizado.

A Associação Cultural Vozes de Itu foi a primeira entidade que se associou, juntamente com o Museu da Energia, aquela na divulgação de obras musicais preservadas no acervo e este abrigando pequenas mostras culturais.
Quando o museu foi criado não se imaginava que a adesão a sua proposta seria tão rápida; objetos, fotografias, documentos textuais, gravações, discos, apareceram de toda parte; muitos cidadãos quiseram trazer um pouco da história da música em Itu para compor o acervo, para garantir que esteja preservado e disponível para pesquisa. As partituras, cerca de dez mil, estão em fase final de catalogação. Há um grupo de voluntários e estudantes trabalhando desde 2009 na organização de todo o material. Outra atividade importante é recolher depoimentos de músicos e cantores, que ficam registrados como mais uma fonte de pesquisa – oral – da história recente da nossa música.

2009 foi um ano fundamental para o Museu da Música, porque, em parceria com a Protur, abriu uma sede para a instituição, uma casa abrigando o acervo, exposições, ações educativas, enfim, um lugar significativo, historicamente ligado à música – casa do velho seresteiro Luís de Francisco. Naquele ano abriu a exposição ligada à ópera A Noite de São João, reunindo pesquisa sobre a obra de Elias Lobo.

A única mantenedora do Museu da Música – Itu é o Instituto Cultural de Itu, associação de amigos, formada em 1999, cujos participantes não medem esforços para a concretização dos propósitos. Os recursos vêm de seus associados, de doações para atividades, ou iniciativas como a edição de livros, por exemplo, os que foram organizados pelo Engº Jair de Oliveira: Itu, 400 anos e Memória de Itu.

Importante salientar a imensa colaboração de entidades como a Igreja do Carmo e a Chácara do Rosário, que acreditam na iniciativa de tornar a sociedade ituana mais feliz a partir da sensibilização que a arte proporciona.
O Museu da Música de Itu, tem a Curadoria da Profª Maria de Lourdes Figueiredo Sioli, que colabora voluntariamente, o que dignifica ainda mais sua atuação. O mais marcante é que o grupo só está crescendo. O Museu da Música – Itu é uma realidade!
O Museu da Música continuará a receber turmas mediante agendamento em outros dias da semana. Para agendamento utilize o e-mail: museudamusicaitu@gmail.com
Todas as atividades do Museu da Música são voluntárias e a visita é gratuita.

Sede: Rua Floriano Peixoto, 480
Preço: Entrada franca
Horário: Todos os domingos das 11 às 16 horas..
E-Mail: museudamusicaitu@gmail.com
Luís Roberto de Francisco
Coordenador de Acervo e Documentação do Museu da Música – Itu.

Museu Memória da Santa Casa de Misericórdia de Itu

A Santa Casa de Misericórdia de Itu, fundada em 1840, teve, recentemente, seu prédio e instalações totalmente restaurados e se tornou o Museu da Memória de um hospital que atendia gratuitamente a todos. Visitá-lo é uma viagem no tempo, uma volta ao passado da medicina e da caridade.

Hoje, entrando pela porta da Santa Casa, podemos ver de perto os recursos da medicina do final do século 19. Uma enfermaria coletiva, uma grande equipe de enfermeiras, quartos particulares com seus móveis da época, a impressionante sala de cirurgia, a sala da farmácia, pois antigamente não havia farmácias como hoje e os medicamentos eram desenvolvidos dentro dos hospitais.

Há, também, uma grande quantidade de relíquias de móveis, aparelhos, muitos objetos religiosos, a capela belíssima de São João de Deus, a sala da provedoria, com telas retratando todos os provedores e a atmosfera do passado heróico dos que ali foram assistidos e trabalharam.

História
 
Tudo começou quando em Portugal, no final do século XV, firmou-se o primeiro compromisso de uma Irmandade de servir aos mais necessitados da sociedade nos campos da saúde. Esta instituição nascente se expandiria para dezenas de países colonizados pelo império ultramarino português.

Em solo ituano, a Irmandade começou a ser idealizada apenas em 1837 em função das precárias condições em que se encontrava o Hospital dos Lázaros que existia desde 1806, por obra do Padre Antonio Pacheco da Silva. A comissão escolhida elaborou os primeiros estatutos de um Hospital destinado aos Morféticos. (Portadores de Lepra.)

Um ano depois, em 1838, aconteceu a primeira doação feita pelo Capitão Caetano José Portella que iniciou efetivamente a instituição da Irmandade. A ela seguiram-se numerosas doações da rica sociedade ituana da época, considerada a cidade mais rica e populosa da Capitania de São Paulo.

Além disso, era a que mais contribuía com tributações e captações e o maior centro produtor de açúcar do Primeiro Império e de parte do Segundo, e grande centro produtor de algodão, sendo esse último o responsável pela fundação da primeira fábrica de tecidos movida a vapor no Brasil, a Fábrica de Tecidos São Luiz. Ainda nesse ano a Câmara Municipal aprovou a “criação de um Hospital de caridade para asilo dos desgraçados”.

Em função das volumosas contribuições, o terreno foi comprado e as obras tocadas em ritmo acelerado, até que em 1840 foi eleita a primeira Mesa Administrativa da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Itu. O primeiro Provedor foi o Capitão-Mor Bento Paes de Barros, que seria depois o Barão de Ytu. Somente em 1842, a Vila de Itu foi elevada à categoria de cidade.

Dom Pedro II foi o mais ilustre visitante das obras do hospital, em 1846, quando deixou um donativo de três contos de réis.

O primeiro passo do “Hospital de Caridade” foi construir em, 1853, a Capela de São João de Deus, cuja imagem veio de Gênova, Itália.

Inaugurado em 1867 o Hospital passou a contar com os serviços de enfermagem das Irmãs de São José de Chambéry que aqui chegaram em 1869 após contato da Mesa Administrativa da Irmandade com a Irmã Maria Theodora Voiron, superiora do Colégio Nossa Senhora do Patrocínio, grande vulto da caridade e da história ituana. 
Fato marcante, dentre tantos, aconteceu em 1930 quando foi inaugurado, junto ao hospital, um pavilhão para servir de residência às irmãs de São José, como uma forma de retribuição parcial pelos heróicos serviços de enfermagem prestados para os mais carentes por quase um século.

Muito mais do que uma instituição cristã de caridade para o tratamento da saúde dos necessitados, a Santa Casa de Itu representou um modelo de instituição medieval, que surgiu já no alvorecer do Renascimento e da Idade Moderna, quando Portugal vivia o período que marcou o auge de sua expansão marítima e a sociedade portuguesa da época reservava um lugar central para a religião.
 
Foto - 
 
Museu da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Itu – Centro Pró Memória
Rua Joaquim Bernardo Borges, 314 – centro
(11) 4023-0472
Abre às terças-feiras 10 h – de quarta a sábado das 9 h às 16,30 h