11 99231-6498
Language:
Apresentação
11 99231-6498
SIGA-NOS

Publicações 2019

Água na Estância Turística de Itu – uma grande vitória

Barragem do Itaim - foto Picasa 2.0
O abastecimento de água numa Estância Turística é condição primária para a confiança e o conforto dos turistas e da população. A falta ou irregularidade no fornecimento atinge grande parte do “trade” turístico como hotéis, pousadas, restaurantes, lanchonetes, unidades de saúde e, também toda a população. Todavia, esse cenário desastroso já ficou para trás e, agora, a gestão pública pode tranqüilizar a todos.

Mas, outro problema de nível nacional surgiu e, há meses, o assunto principal da imprensa tem sido os desastres de Mariana e Brumadinho, em Minas Gerais. Um problema que assusta todo o país porque só agora se deu conta dos perigos das barragens, tanto de rejeitos de mineração como das represas de água para abastecimento da população em todas as cidades.

As nove barragens que armazenam água para consumo da população de Itu são consideradas pequenas. Segundo o Superintendente da CIS, Vincent Menu, as represas de Itu tem outorga liberada pelo Departamento de Águas e Energia Elétrica – DAEE – todas têm menos de 15 metros de altura. Por esse motivo a entidade não precisa de um plano de segurança conforme as normas do Estado.

Agora, com o fim das águas de março, com muitas tempestades na região, todas as barragens estão com nível máximo na sua capacidade de armazenamento. Para tranqüilizar a todos, não há perigo de transbordamento, pois existe um sistema de vazão do excesso de água.

Falta de água ficou para a história de Itu

Depois da crise de abastecimento em 2014 e depois de dois anos de atuação em Itu, a CIS - Companhia Ituana de Saneamento, órgão da Prefeitura da Estância Turística de Itu, garante segurança hídrica para abastecimento da população. Várias obras como Sistema Mombaça, novo reservatório, ativação de poços e troca de redes de distribuição, possibilitaram ao município atingir um patamar inédito nesta questão.

Embora muitas reclamações, especialmente nas redes sociais, claramente com motivação política para criticar a atual administração sejam constantes, são infundadas. A maioria das queixas registra a falta de água pontual, em algum bairro ou rua, que são motivadas por obras de manutenção, troca de encanamento ou identificação de “gatos”.

Na verdade, técnicos da CIS fazem inspeções semanais visuais em todas as barragens. Além disso, atualizam, anualmente, todos os dados e as documentações de todas as barragens com relatórios enviados para o DAEE para serem aprovados pelo órgão do Governo do Estado, o que garante a segurança das operações da CIS.

No final do mês de março, os nove mananciais que abastecem a cidade estavam com 100% de suas capacidades: Bacia do Itaim; Taquaral/Pirapitingui; Braiaiá; Bacia do Gomes; do São José; do São Miguel e São Miguel/Varejão. Por serem captações perenes, Monbaça e Pau D´Alho não entram nesta medida de capacidade.



www.grandeitu.com.br
Raul Machado Carvalho – Editor
grandeitu@grandeitu.com.br